Marcus Linhares

Qual é o seu histórico com línguas e traduções?
Aos 16 anos fiz o TOEFL IBT. Na mesma época, comecei a estudar francês. Um ano depois, prestei vestibular e entrei para o curso de bacharelado em Secretariado Executivo Trilíngue na Universidade Federal de Viçosa (UFV).

​Aos 18 anos, obtive meu certificado de proficiência em inglês (C2, ECPE) pela Universidade de Michigan. Nesta época também passei 3 meses em Orlando, EUA, trabalhando na Walt Disney World.

Três anos depois, tornei-me revisor dos artigos em inglês aprovados na Revista Brasileira de Zootecnia, na UFV. Lá tive contato diário com todas as áreas correlatas, o mundo da escrita acadêmica e docentes.

Também tive a maravilhosa oportunidade de ser intérprete no SIMCORTE e participar de uma reunião anual da RBZ.

Desde 2010 , tenho viajado diversas vezes aos Estados Unidos, Inglaterra e França, e hoje moro na Espanha.

Tendo trabalhado com zootecnia desde 2011, já verti mais de 3.000 documentos na área (artigos, resumos, teses, dissertações, projetos, etc.) ao inglês.

Atualmente, curso uma pós-graduação em tradução com vistas a me capacitar para realizar outros tipos de tradução além da científica.

Quais são os fatores fundamentais para uma boa tradução?
A primeira coisa, diria que é a escrita do texto em português. Se ele estiver realmente bem redigido, essa qualidade será automaticamente transferida à versão traduzida. Como um tradutor nunca tem o mesmo conhecimento aprofundado de uma área que seu cliente, a escrita compreensível e fluida facilita a tradução sobremaneira.​

Revisar a tradução tem tanta importância quanto fazê-la. A revisão deve ser minuciosa, pois erros sempre passam, trechos podem ter sido esquecidos, ou mesmo o software pode não alertá-lo sobre um erro de grafia. Durante a revisão, eu checo cada termo técnico ou expressão linguística em artigos acadêmicos publicados por nativos da língua inglesa e também observo o número de incidências encontradas.

​Um bom tradutor deve ser minimalista, perfeccionista e não ter preguiça de pesquisar e de se atualizar.

O mais importante: nunca estar totalmente satisfeito com o seu trabalho :)